quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

978- Culturicídio - Coluna do professor José Luiz Quadros de Magalhães

Culturicídio

Jose Luiz Quadros de Magalhães

Imagine se uma nave espacial estacionasse sobre nossa cidade e dela descessem alienígenas com presentes para nós. Ganhando a nossa confiança, estes alienígenas mostrariam sua superioridade tecnológica para a guerra. Com armas sofisticadas nos imporiam a sua vontade e nos escravizariam, após matar muitos, muitos de nós. Aos poucos dominariam a nossa cidade, imporiam sua cultura, seu deus, seus valores dizendo que nossa cultura é inferior, que nossas crenças são falsas, que nosso deus não existe e que tudo o que nossos pais, mães, avôs e avós nos ensinaram está errado. Mudariam nossa forma de viver, nossa economia, nossas casas, nossa cidade.
Destruir a cultura, negar a história de uma pessoa, de uma comunidade é a pior forma de matar. Assim fizeram os europeus com os povos originários na América, assim fizeram, entre si, os povos hegemônicos sobre os povos dominados na Europa e pelo mundo.
Uma pessoa sem raiz, sem história, arrancada de sua fé e crenças perde as referências. Neste processo de destruição da alma estas pessoas são levadas às drogas, ao suicídio, ao alcoolismo. Isto aconteceu e ainda acontece com os povos originários no Brasil, por exemplo. Não se mata só com a espada e com armas de fogo. O assassinato da alma foi feito com a imposição de outra cultura e outra religião aos povos originários na América.

Sugiro ler dois textos:
http://joseluizquadrosdemagalhaes.blogspot.com/2011/11/802-reflexoes-sobre-o-novo.html 

http://joseluizquadrosdemagalhaes.blogspot.com/2011/02/197-teoria-do-estado-primeiras-aulas.html 

E assistir os filmes a seguir:

Primeiro, o belíssimo "Enterrem meu coração na curva do rio", leiam o livro de Dee Brown e vejam o filme. Imperdível. Um dos melhores filmes que já assisti.


http://www.texbr.com/artigos/artigos2004/0223_dee_brown.htm



Abaixo um filme produzido na Africa do Sul, muito bom. Uma ficção científica que acontece diariamente em muitos lugares do mundo. Imperdível: "Distrito 9".



O filme seguinte é mais antigo, também bom, foge do faroeste convencional onde assistimos a chacina dos indios maus:




O filme a seguir não foge da visão racista do "indio" inferior, incivilizado e mau. Vimos muitos filmes assim. Apenas um exemplo da inferiorização do "outro" de forma sistematica e ideológica feita pelo cinema e pela TV:


E finalmente o exemplo da inferiorização e generalização do inimigo inferior em uma série de TV que foi apresentada no Brasil.

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário